Espetáculos de teatro goianos saem em turnê nacional

A partir de amanhã, os atores goianos Rodrigo Cruz e Rodrigo Cunha caem na estrada na turnê nacional promovida pelo projeto Palco Giratório do Sesc. Os espetáculos de dança Dúplice, protagonizado por ambos, e a performance teatral Espécie, de Rodrigo Cunha, foram as únicas produções de Goiás selecionadas para participar da 19ª edição de um dos maiores eventos de difusão das artes cênicas no Brasil.

Vitória, no Espírito Santo, receberá amanhã a primeira apresentação da dupla, no Centro Cultural Sesc Glória. “Ficamos muito surpresos e felizes com o convite. Vai ser uma oportunidade ímpar de circular pelo País com nosso trabalho”, explica Rodrigo Cunha. Ao todo, serão mais de 40 apresentações por diversas cidades brasileiras. Para a dupla, a seleção tem um sabor ainda mais especial por ser a primeira vez que um espetáculo de dança compõe as atrações do Palco Giratório.

Os artistas estarão em turnê com outras 20 companhias que participam do Palco Giratório 2016. Ao todo serão 728 apresentações artísticas, 1.325 horas de oficinas teatrais e passagem por 145 diferentes cidades. Na seleção dos espetáculo, o Sesc prioriza a mistura de sotaques, as diferentes expressões artísticas e modos de criação. Desde 1998, o projeto intensifica a formação de plateias a partir da circulação de espetáculos dos mais variados gêneros, em todos os estados brasileiros, nas capitais e no interior.

Com vários prêmios no currículo desde que estrou em 2008, Dúplice une dança contemporânea com teatro. O espetáculo explora a linguagem do corpo e é sustentada pela cumplicidade dos atores-dançarinos em um jogo rítmico, físico, cênico e sonoro. No ano passado, os atores fizeram uma pequena turnê pela Espanha.

Já o espetáculo experimental Espécie, com Rodrigo Cunha e direção de Valéria Braga, traz o ator em uma performance sem diálogos e sem cenários. Apenas o protagonista iluminado pelo visor do telefone celular. Ao longo da apresentação de 60 minutos, elementos inusitados surgem em cena. O mais marcante é o de um macaco que, em grunhidos e expressões cheias de violência, evoca a estética e o clima visceral do longa de Stanley Kubrick 2001: Uma Odisseia no Espaço. Até uma sensual e ambígua Marilyn Monroe, em sua canção Happy Birthday, Mr. President, serve de referência para o trabalho físico do ator.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Close