Inflação de Goiânia recua em março e tem variação de 0,37%

Embora ainda tenha registrado índice positivo, a inflação de Goiânia, referente ao mês de março último, teve variação de 0,37%, e ficou abaixo da taxa de fevereiro (1,23%). Esse é o menor resultado desde junho do ano passado e para março é o menor desde 2012. Contudo, no acumulado no primeiro trimestre desde ano já chega a 3,38% e em 12 meses em 11,33%, conforme estatística divulgada pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (IMB), da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan).

Os itens que contribuíram para a desaceleração da inflação de Goiânia, no mês passado, foram as diminuições da tarifa de energia elétrica (-8,38%) e do preço do gás de cozinha (-1,49%), do grupo habitação. E também a variação negativa (-0,75%) do grupo de despesas pessoais, com o recuo dos preços de corte de cabelo feminino (-3,93%), manicure e pedicure (-4,29%), além de brinquedos (-2,09%).

Em contrapartida, o IPC de Goiânia, de março, foi pressionado pelos reajustes de preços que ocorrem nos itens dos grupos de alimentação e de transportes. Os destaques foram os aumentos das tarifas de passagem de ônibus urbano (2,21% – ainda resíduo dos 12,10% autorizados em fevereiro) e gasolina comum (2,59%), etanol (3,13%) e óleo diesel (0,65%).

No grupo alimentação pesaram os reajustes do leite longa vida (5,04%), banana prata (17,91%), tomate (10,71%) e batata inglesa (8,39%). Além do feijão preto (4,81%), café moído (1,17%), ovos grandes (3,57%), macarrão (2,12%), apresuntado (3,05%), laranja pera (2,56%) e outros. Na alimentação fora do domicílio ficaram mais caros o almoço a peso (0,92%), o suco de laranja (2,36%), o refrigerante 290 ml (1,56%) e o salgado (0,54%).

O gerente de Pesquisas Sistemáticas e Especiais do IMB/Segplan, economista Marcelo Eurico de Sousa, estima que a inflação de abril, e dos próximos meses, tende a ficar mais estável, embora com índice positivo. Ele lembra que, a partir de agora, com a menor incidência de chuvas crescerá a oferta de hortifruti, embora deverão cair as de leite e de carne bovina, pressionando os preços. Mas Marcelo ressalta que os preços dos produtos e de serviços estão muito elevados e que, portanto, não cabem mais aumentos porque a demanda está reprimida devido a queda do poder de compra do consumidor.

Educação
O retorno do período escolar, no mês passado, impactou positivamente nos preços dos artigos de papelaria (9,88%) e do uniforme escolar (5,85%), fazendo com que o grupo educação tivesse variação de 1,82%, na comparação com fevereiro.

No grupo vestuário (1,54%), os técnicos do IMB/Segplan registraram aumentos de preços da calça masculina (4,01%), camiseta/blusa infantil (5,74%), conjunto infantil (2,39%), blusa feminina (1,47%); sandália infantil (12,44%), sapato masculino (2,44%), tênis infantil (2,78%) e óculos sem grau (14,99%).

Também foram constatados reajustes de preços dos serviços de exames de laboratório (2,68%) e produtos de higiene pessoal (1,69%) com os itens: perfume (3,27%), sabonete (2,11%), lâmina de barbear (1,55%), xampu (2,54%) e papel higiênico (2,17%), dentro do grupo de saúde e cuidados pessoais.

No grupo artigos residenciais ficaram mais caros os itens de conjunto de estofado (8,11%), armário para copa e cozinha (4,70%), cama de solteiro (7,19%), televisor (4,99%), conjunto de som (2,23%), liquidificador (3,21%), jogo de cama de solteiro (7,14%) e lençol de casal (3,89%). Já no grupo comunicação, houve registro de pequeno reajuste no preço dos serviços de telefonia celular pós-pago (0,83%).

Cesta básica
Em março, o custo da cesta básica para uma pessoa que tem como renda apenas o salário mínimo mensal (R$ 880,00) subiu 0,40%, na comparação com fevereiro, e no trimestre atingiu a 6,50%, chegando a custar R$ 340,05, de acordo com o IMB/Segplan.

Dos 12 itens que compõem a cesta básica do goianiense apenas o pão francês ficou estável. Tiveram recuo de preços a carne (-1,62%), o arroz (-0,43%), o açúcar (-0,80%), o óleo de soja (-1,70%) e as frutas (-1,66%). Registram alta o leite (5,04%), feijão (2,59%), farinha/massas (0,97%), legumes/tubérculos (1,89%), café (1,17%) e a margarina (2,00%).

Fonte: A Redação

27 thoughts on “Inflação de Goiânia recua em março e tem variação de 0,37%

  1. What’s Happening i’m new to this, I stumbled upon this I’ve found It positively helpful and it has aided me out loads. I hope to contribute & assist other users like its helped me. Great job.

  2. Este site é realmente fabuloso. Sempre que acesso eu encontro coisas boas Você também pode acessar o nosso site e saber mais detalhes! informaçõesexclusivas. Venha descobrir mais agora! 🙂

  3. Este site é realmente demais. Sempre que acesso eu encontro novidades Você também vai querer acessar o nosso site e saber mais detalhes! informaçõesexclusivas. Venha descobrir mais agora! 🙂

  4. Trusted online drugstore reviews Enlargement Droning of Toxins Medications (ACOG) has had its absorption on the pancreas of gestational hypertension and ed pills online as accurately as basal insulin in rigid elevations; the two biologic therapies were excluded poor cialis online canadian drugstore the Dilatation sympathetic of Lupus Nephritis. cheapest generic viagra viagra 100mg

  5. amei este site. Pra saber mais detalhes acesse nosso site e descubra mais. Todas as informações contidas são conteúdos relevantes e únicos. Tudo que você precisa saber está está lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Close