Carlinhos Cachoeira é transferido para a CPP, em Aparecida de Goiânia

O empresário e contraventor Carlinhos Cachoeira, preso na quinta-feira por fraudes na Loteria do Estado do Rio de Janeiro (Loterj), foi transferido na tarde desta sexta-feira para o Núcleo de Custódia da Casa de Prisão Provisória (CPP) de Aparecida de Goiânia. A assessoria da Polícia Civil (PC) confirmou a transferência e explicou que ele está sob a custódia do sistema prisional e, portanto, não poderia seguir preso na Delegacia de Homicídios, onde estava desde a prisão.

Agora, ele aguarda manifestação da Justiça do Rio de Janeiro, onde foi condenado, sobre pedido da sua defesa para que ele permaneça em Goiânia. Os advogados do empresário argumentaram que ele já estava em prisão domiciliar por outra condenação, no âmbito da Operação Saqueador, e “não poderia fugir”. Além disso, salientaram, sua família mora aqui.

Cachoeira foi alvo de mandado de prisão expedido pela Justiça fluminense na última terça-feira a mando do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Na sua decisão, o ministro Nefi Cordeiro acatou pedido do Ministério Público Federal (MPF) para que o contraventor fosse preso baseado no recente entendimento recente do Supremo Tribunal Federal (STF) de que, nos casos em que houver condenação em segunda instância, pode haver cumprimento imediato da pena.

O bicheiro Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, foi preso por fraudes na loteria carioca. Policiais civis chegaram à casa onde um irmão dele mora em Goiânia, no Alphaville Ipê, por volta das 17h10. De lá, o contraventor foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito.

(Foto: Divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Close